gvt

O que é Traffic Shaping?

Uma prática muito comum e ao mesmo tempo negada pelas provedoras de acesso à internet: entenda melhor a polêmica e aprenda o que você pode fazer com relação a isso.

A grande maioria dos usuários de internet não percebem isso ou não se preocupam, mas uma pequena parcela deles, aqueles que fazem downloads grandes via protocolos de transferência, já notaram que em determinados horários ou para determinadas funções a internet fica muito mais lenta. Há uma estimativa que cerca de 10% dos usuários de internet no Brasil são responsáveis por 80% do tráfego de dados nas redes do país. Ou seja, sobram mais ou menos 20% de banda para a grande maioria dos usuários.

Pensando nisso, as provedoras de acesso à internet – ISP, do inglês Internet Service Provider – começaram algumas formas de moldá-lo, limitando o tamanho da banda para os protocolos que usam mais a rede, que são basicamente os de transferência de arquivos grandes. Esses são os protocolos P2P, como do Emule ou do Ares Galaxy, ou os Torrent utilizados amplamente por muita gente. Alguns provedores limitam inclusive a transmissão de arquivos via FTP, outro tipo de protocolo, usado para fazer transferências entre servidores.

Vários provedores de acesso limitam o uso de protocolos P2P e Torrent.

Este tipo de prática é chamado de Traffic Shaping, o que significa literamente modelação de tráfego. Os provedores negam a prática por ela ser ilegal e camuflam muito bem a forma como isso é feito. Mas isso acontece para garantir que a maior parte de sua rede, que não utiliza esses protocolos de transferência ou não fazem downloads pesados, possa ter um acesso tranquilo a seu email, aos blogs que lê e até mesmo poder ver alguns vídeos no Youtube.

Por que os provedores fazem isso

Para garantir o cumprimento dos contratos, provedores aplicam o Traffic Shaping.

Quem utiliza rede compartilhada sabe que, quando várias pessoas estão conectadas ao mesmo tempo, a velocidade de sua conexão é reduzida, pois a capacidade da rede está dividida entre vários computadores. O mesmo acontece com o acesso à internet de uma forma geral. Ao conectarmos nossos computadores, isso é feito via rede oferecida pelo provedor de acesso. Se existe muita gente usando a rede ao mesmo tempo, a capacidade total dela fica reduzida.

As empresas provedoras precisam cumprir seus contratos com os clientes. Quando elas vendem planos de 3MB ou 10MB, seus clientes gostariam de ter essa velocidade ao abrir uma página ou ao abrir um vídeo em um site de streaming. Como dito antes, 90% dos contratantes destes serviços não utilizam protocolos de transferência de arquivos, portanto podem utilizar a velocidade quase completa de acesso sem prejudicar a quantidade de dados transmitidos.

E EXISTE UMA FORMA DE BURLAR O TRAFFIC SHAPPING???

Bem, sim, existem algumas formas. Alguns programas de torrent e outros P2P já estão se atualizando com opções de ofuscamento ou mesmo alternância de portas. Tenho GVT de 15MB aqui em casa e uso o Bittorrent numa boa. Mas e quando o programa não possui opções? Ou mesmo o download/upload são feitos através do próprio navegador?

Muitas pessoas estão usando o protocolo de VPN com essa finalidade. Pesquisando no Google por “anonymous vpn”, vocês encontrarão diversas opções.

E funciona? Bem, eu mesmo estava tendo um problema ao tentar upar arquivos com o Mega Manager para minha conta do Megaupload. Tentei por dois dias e sempre dava falha nos aquivos. Quando conseguia fazer funcionar, a velocidade de up não passava de 14kb/s. Me cadastrei então no serviço de VPN do GoTrusted, baixei o aplicativo e instalei. Foi como mágica! Meu upload voltou a funcionar e a velocidade subiu para 120kb/s!!!

O serviço obviamente é pago, mas possui um período de teste de 7 dias. Pra mim já valeu a pena e irei pagar feliz da vida. O valor? 5 dólares mensais. Pago feliz!

Espero que as dicas ajudem vocêm pois me ajudaram muito!

Até a próxima,

SIGNATURE

Anúncios

Como Compartilhar Internet GVT Usando Roteador

Esse post é em homenagem ao meu amigo Brenotss, que certa vez me ligou tomando um couro da conexão GVT ao tentar compartilhar via roteador wireless. Lembrei imediatamente do problema dele ao configurar o meu roteador com a minha nova conexão e decidi deixar a dica aqui, visto que posso ajudar mais alguma pobre alma.

Não cheguei a ligar para a GVT pedindo ajuda, mas o Brenotss ligou e a informação que eles prestaram não ajudou muito. Se você adquiriu uma conexão GVT, talvez tenha tido essa frustração. Modem espetado direto no computador navega na Internet. Modem espetado no roteador e computador espetado no roteador não navega. Você checa as configurações do roteador e vê que está tudo ok. Pra piorar, seu roteador já funcionava com outro provedor mas não funciona com a GVT. Se esse é o seu problema, continue lendo e eu te darei a solução.

O problema não passa de um simples conflito entre modem e roteador e é bem simples de ser solucionado. Você ligou na GVT e eles disseram pra você desabilitar o DHCP do seu roteador? Não funciona. Bem, pelo menos com o meu Linksys não funcionou.

O modem da GVT já vem configurado da prestadora como servidor DHCP. A faixa de IP usada por eles no modem é a 192.168.1.x. O modem deles vem com o IP fixo de 192.168.1.1 e é aí que mora o problema! A grande maioria dos roteadores do mercado vem configurado com esse mesmo endereço IP, e está configurado para distribuir IPs nessa mesma faixa. O que deve ser feito é o seguinte:

1º – Desplugue o modem da GVT do seu roteador e plugue o seu computador no roteador (Porta LAN);

2º – Descubra no site do fabricante do seu roteador como acessar o modo de configuração no mesmo. Normalmente basta abrir o navegador da Internet e digitar o endereço 192.168.1.1. A senha padrão também deverá ser checada no site do fabricante. O do meu Linksys é o padrão admin/admin;

3º – Altere a faixa de IPs distribuídos de 192.168.1.x para qualquer outro número até 253. Por exemplo: 192.168.2.x;

4º – Desligue o roteador da tomada e desligue também o modem GVT da tomada. Conecte o modem GVT na porta WAN do roteador, conecte seu computador na porta LAN do roteador.

5º – Ligue o modem GVT e espere a luzinha do DSL parar de piscar de modo intermitente. Ligue o roteador e aguarde alguns segundos;

6º – Abra o navegador e tente surfar na net. Funcionou? Ótimo! Não funcionou? Reinicie o computador e tente novamente.

Fiquem atentos ao próximo post pois irei explicar como melhorar sua conexão GVT abrindo portas do próprio modem e também do roteador.

Um abraço,

SIGNATURE

DICA DO LUGUTA:

Quer comprar suplementos direto da terra do Tio Sam, pagando barato e recebendo aqui no Brasil?

(Use o código 7180404 e ganhe 5 dólares de desconto na compra!!!)

Clica aí:

www.Healthdesigns.com